|Wednesday, November 22, 2017
You are here: Home » Português » Depravação, Frivolidade e Dissidência: É este o fim de um Império?

Depravação, Frivolidade e Dissidência: É este o fim de um Império? 

Superpower

Um ensaio escrito há mais de 40 anos previu o fim de um império e os eventos atuais, com muita certeza, fazem parecer que estamos observando isso acontecer em tempo real.

Passo bastante tempo lendo notícias todos os dias para o meu site, Preppers Daily News.  E, as vezes, eu só tenho que sacudir a cabeça pois percebo que as pessoas estão tão desesperadas por … algo … que chegam a extremos para tentar encontrar essa coisa indescritível que está faltando em suas vidas.

Quanto mais eu leio, mais semelhanças eu vejo com o ensaio de Sir John Glubb, The Fate of Empires and Search for Survival. (São apenas 24 páginas e você definitivamente deveria lê-lo – é brilhante.) Sir Glubb escreveu este excelente trabalho quando tinha 79 anos, depois de uma vida trabalhando como soldado, viajando pelo mundo e analisando história. Vale a pena ler como ele detalha a queda de impérios passados.

O estágio final para o fim de um império é a Era da Decadência. Alguns sinais dessa idade são divergências políticas (Antifa?), um afluxo de estrangeiros (Europa?), o Estado (América?), Desespero (350 milhões de pessoas diagnosticadas com depressão), depravação (veja abaixo) e a ascensão da frivolidade pois as pessoas tentam preencher suas vidas que têm cada vez menos significado.

Soa familiar?

Este vídeo é uma breve sinopse dos sinais de um império que está perto do seu fim.

Uma sinopse que leio torna a teoria de Glubb inteiramente aplicável à sociedade moderna:

Na era da decadência, muitas pessoas optam por se comportarem de uma forma insustentável, aparentemente inconscientes das consequências. Eles se entregam a um consumo excessivo, muitas vezes conspícuo. Uma elite rara e absurda emerge, mas em vez de ser repelida pelas massas, é admirada e celebrada. Aqueles fora da elite aspiram a níveis semelhantes de consumo e são encorajados pela disponibilidade de crédito barato. As pessoas ficam convencidas de que o aumento do consumo é a chave para a felicidade, mas, em sua busca, tornam-se ​​menos felizes. Como David Morgan diz,você nunca pode obter o suficiente do que não precisa“.

Neste ponto, o ciclo de vida da frivolidade do império, como Glubb o chama, vem à tona. Para distrair as pessoas do que realmente está acontecendo, a economia cria diversões. O voyeurismo torna-se central para a cultura: os espetáculos de gladiadores na Roma decadente são refletidos nos “reality shows” da televisão de hoje. As pessoas tornam-se obcecadas com celebridades, enquanto os que deveriam ganhar notoriedade se intimidam diante das câmeras. Essas celebridades inventadas são “famosas” apenas por serem famosas …

Depravação é outro tema recorrente no final do império. A sociedade desenvolve uma obsessão estranhamente imatura com o sexo. As pessoas bebem até ficarem inconscientes e desabam na rua. Na época romana, bebedores compulsivos eram deixados ao seu próprio destino. A depravação de hoje em dia é supervisionada pela polícia; suas “vítimas” são atendidas por profissionais da saúde, pressionando ainda mais o dinheiro público. E, ao mesmo tempo, supermercados e corporações faturam alto vendendo bebidas alcoólicas com desconto para pessoas que, geralmente,  não têm idade suficiente para comprá-las. Este é o nosso circo moderno, com cidadãos literalmente obesos se tornando um fardo para o Estado.

Mas o pequeno nunca pode satisfazer o grande. Os prazeres baratos não conseguem compensar a ausência de significado nas vidas de tantas pessoas. Um desejo por algo maior permanece … números crescentes de pessoas são negadas acesso ao trabalho; elas não encontram nenhum envolvimento significativo em sua comunidade, então, seu potencial não é atingido. Quando as pessoas são impedidas de atingirem seu potencial, muitas vezes, causa autodestruição. (fonte)

Por “Império”, não me refiro especificamente apenas aos Estados Unidos, mas à Civilização Ocidental em geral. Estamos observando nossos amigos na Europa seguirem o mesmo caminho. Como alguém pode olhar para as estórias a seguir e pensar que está tudo bem e que isso é sustentável?

NOTA: O relato abaixo não é bonito e há conteúdo pornográfico. Se você é ofendido por pornografia, siga meu conselho e não leia. Se você ler, não reclame nos comentários. Obrigado. DL

Dissidência

Nunca a América e a Europa viram seus cidadãos tão em desacordo. Aqui nos Estados Unidos, a última eleição causou mais divisão do que qualquer outra na história. Amizades e relações familiares acabaram por causa do voto das pessoas. Uma vez que Trump foi empossado, as coisas não melhoraram. Ainda há grupos que querem derrubar o “regime Trump-Pence”. Alguns estudantes não toleram nem mesmo a existência de pessoas com crenças opostas.

O sistema educacional não ajuda. Alguns professores estão realmente encorajando revoltas violentas. Os californianos estão falando sobre a separação dos Estados Unidos porque Trump ganhou.

Na Europa, o Reino Unido votou para deixar a União Européia e a Catalunha votou para deixar a Espanha. As pessoas estão firmemente divididas entre acolher imigrantes e banir imigrantes.

O caos está em toda parte e não há um meio termo.

Crimes Incompreensíveis

Os crimes estão ficando mais horríveis e difíceis de se imaginar. Uma garota de 17 anos estava voltando para casa a pé no Reino Unido e foi assaltada sexualmente 3 vezes em uma hora. Um homem na Pensilvânia tentou estrangular a namorada porque ela trocou a senha do IPad. Uma mulher no Estado da Geórgia matou seus dois filhos pequenos colocando-os no forno.

Um produtor de Hollywood foi acusado de violar e assediar dezenas de mulheres, o que levou milhares de outras mulheres a compartilhar suas histórias de terror com um  #MeToohashtag no Twitter. Eu já li, recentemente, relato após relato de professores que tiveram relações sexuais com seus alunos do ensino médio.

Sexualidade Precoce

A sexualidade está sendo introduzida nos nossos filhos muito cedo. Por exemplo, as bibliotecas em todo o país estão tendo “Drag Queen Story Hour”. Uma imagem vale mais do que mil palavras.

Qual é o objetivo disso? Aqui está uma citação de um artigo numa revista intitulado “Uma incrível drag queen demoníaca tem entretido crianças na biblioteca de Michelle Obama“, que explica:

    “Drag Queen Story Hour” tem o objetivo de dar às crianças “modelos a seguir que sejam glamourosos, positivos e descaradamente estranhos”, de acordo com o site do programa …

… O site “Drag Queen Story Hour” explica que o evento “captura a imaginação e a fluidez de gênero da infância”.

“Em espaços como este, as crianças são capazes de verem pessoas que desafiam rígidas restrições de gênero e imaginam um mundo onde as pessoas podem se apresentar como quiserem, onde se fantasiar é real.

O programa “acontece regularmente em Los Angeles, Nova York e San Francisco, e mais eventos como este estão aparecendo em todo o mundo!”

Na verdade, não tenho problemas com adultos que são drag queens – eu cantei em um show em Las Vegas e, como libertária, acredito que adultos que consentem podem fazer o que querem. Não criei meus filhos para maltratarem os outros devido à sua sexualidade. Estariam em grandes apuros se o fizessem. Contudo, consegui ensinar-lhes a serem pessoas gentis sem levá-las para o “Drag Queen Story Hour” quando tinham 3 anos de idade.

Deixe-me ser absolutamente clara sobre que, embora eu não pense que “Drag Queen Story Hour” é uma tentativa de abusar sexualmente de crianças, isso leva a uma sexualização excessiva das crianças. Eu nem conheço os nomes de todos os gêneros e sexualidades que estão sendo reivindicados pela comunidade LBGT, que continua a adicionar tantas iniciais, eu não consigo acompanhar. Não é de admirar que as crianças estejam confusas. Eu estou confusa e sou uma adulta.

Há décadas, qualquer coisa na TV antes das 9 horas era bastante inocente. Nós não possuíamos laptops e telefones celulares que nos permitiam aprender sobre sexo cedo demais. Nós não respondíamos questionários no Buzzfeed para ver se estávamos prontos para ter sexo anal naquela noite e não procurávamos na Teen Vogue sobre sexo oral. Hoje em dia, Teen Vogue é mais picante do que a Cosmo era no início dos anos 80. Como protegemos a inocência de nossos filhos neste ambiente? Como os deixamos apenas serem crianças e encontrarem seus próprios caminhos? Mesmo nos filmes da Disney, todos devem ter um interesse amoroso. Por quê?

Normalização da Pedofilia

As crianças estão expostas a muitas coisas em uma idade muito jovem. Isso os faz alvos para pedófilos. Deixe-me escalrecer algo. A pedofilia é sempre, sempre errada e extraordinariamente prejudicial para as crianças.

Para piorar as coisas, há uma tentativa doente de normalizar a pedofilia. A revista Salon publicou vários artigos com títulos como: “Eu sou um pedófilo, mas não sou um monstro“, que desde então foram excluídos devido ao protesto público. Há fóruns sobre “pedofilia moral”. Aqui está uma citação:

Nosso site destina-se a reduzir o estigma associado à pedofilia, permitindo que as pessoas saibam que um número substancial de pedófilos NÃO molesta crianças, e fornecer apoio e informações sobre os recursos disponíveis para ajudar os pedófilos a permanecerem cumpridores da lei e terem vidas felizes e produtivas. Estas são as nossas histórias. Há uma breve biografia dos dois fundadores do site e coleções de outras histórias pessoais. (fonte)

Eu continuo me perguntando: as pessoas responsáveis ​​pela mídia estão tentando normalizar isso de modo que, quando eles, inevitavelmente, forem pegos por molestarem crianças, ninguém se importará? Assista a este vídeo sobre a pedofilia desenfreada na indústria do entretenimento – e então lembre-se, estas são as pessoas que influenciam as opiniões das pessoas que idolatram celebridades.

Tony Podesta, irmão do presidente de campanha de Hillary Clinton, foi destacado por sua coleção de arte incrivelmente perturbadora que mostrou a tortura e o assassinato de crianças. (Aqui está uma postagem chocante com imagens encontradas usando “coleção de arte de Tony e Heather Podesta” como um termo de busca.) E quem pode esquecer o escândalo do “spirit cooking” durante as eleições?

A mídia convencional quer culpar o colapso da civilização em Trump, mas, ignoram o fato de que nesta administração, mais de 1500 prisões relacionadas à pedofilia ocorreram no primeiro mês de sua presidência. Apenas na semana passada, 84 crianças foram resgatadas de um anel de tráfico sexual, com o mais jovem desses anjos com apenas 3 meses de idade. UM BEBÊ DE TRÊS MESES ESTAVA À VENDA POR U$ 600 !!!!

Bestialidade

Falando em “arte”, uma eslovena ganhou um prêmio de arte de prestígio por ficar “reclusa” com seus cães por 3 meses. Claro, para alguns de nós, apenas conviver com animais de estimação parece incrível, mas não convivemos com animais de estimação como Maja Smrekar. Ela amamentou um cachorrinho e fertilizou um de seus ovos com o que ela chama de “célula gorda” de outro cachorro. Mmm hmm. Este vídeo que documenta sua “arte” é outro exemplo a ser adicionado à lista de “coisas de que gostariamos de não ter visto”. O júri que lhe concedeu o prêmio disse: “O que faz essa arte tão especial é o compromisso total do artista.” Aparentemente, eu simplesmente não entendo a arte. Ou compromisso. Ou o que as pessoas fazem com seus animais de estimação.

Leis tiveram que ser implementadas em vários estados para combater um aumento aparente na bestialidade. Um cara foi preso por entrar no quintal do vizinho e fazer sexo com o burro do vizinho. Inúmeras vezes. Esta mulher diz que ela está casada com o seu cachorro. Todas essas pessoas também afirmam ter relacionamentos amorosos com animais.

A bestialidade é legal nestes estados norte-americanos: Havaí, Kentucky, Nevada, Novo México, Ohio, Texas, Vermont, West Virginia, Wyoming e Distrito de Columbia. Aparentemente, festas são organizadas onde as pessoas podem se envolver em atos sexuais com animais. Publicamente.

Para superar tudo que foi dito anteriormente, essa garota se cansou da humanidade e diz que ela agora é … um gato. Eu não tinha certeza se isso fazia parte da seção de bestialidade ou não.

O Vazio da Sociedade

Talvez as pessoas deveriam, primeiro, examinar a depravação e a frivolidade que tentam passam por arte e entretenimento hoje em dia. Uma caminhada para olhar as folhas do outono não será suficiente para grande parte da população.

As pessoas estão tão desesperadas por essa onda de endorfinas que estão constantemente buscando algo cada vez mais escandaloso. As coisas normais já não lhes dão aquele sentimento fugaz de alegria. Suas próprias vidas estão tão vazias que se concentram nas vidas de pessoas “famosas por serem famosas” para preenchê-las.

Quando a sociedade está mais interessada na realidade da televisão do que na realidade real, como podemos esperar que a mesma sociedade esteja investida em nosso futuro?

About the author: Daisy Luther

Daisy Luther lives in a small village in the Pacific Northwestern area of the United States. She is the author of The Organic Canner and The Pantry Primer: How to Build a One Year Food Supply in Three Months. On her website, The Organic Prepper, Daisy uses her background in alternative journalism to provide a unique perspective on health and preparedness, and offers a path of rational anarchy against a system that will leave us broke, unhealthy, and enslaved if we comply. Daisy’s articles are widely republished throughout alternative media. You can follow her on Facebook, Pinterest, and Twitter, and you can email her at daisy@theorganicprepper.ca

Add a Comment