|Friday, April 28, 2017
You are here: Home » Português » Donald Trump o Agente Infiltrado

Donald Trump o Agente Infiltrado 

Trump

Donald Trump não é um político de carreira, mas tem estado em torno dos políticos e do mundo da política por um longo tempo. Ele o confessou durante a campanha.

Trump costumava dar dinheiro para os políticos em troca de favores. Ele nunca ocupou uma posição pública, mas é um especialista porque sabe exatamente como funciona o sistema.

Além de aprender como funciona o sistema e como usar as leis e regulamentos para maximizar os benefícios de sua empresa através dos anos, Trump também aprendeu a usar a mídia para seu próprio benefício. Vimos o seu nível de habilidade para atrair a atenção da mídia durante as eleições de 2016.

Como o presidente dos Estados Unidos, o Sr. Trump ainda “manipula” a mídia para obter mais cobertura do que qualquer outro presidente na história.

Jornalistas, especialistas e comentadores analisam, criticam, condenam e alguns deles elogiam o Trump nos jornais, enquanto nas universidades os espaços tornaram-se território inimigo para seus seguidores.

Os americanos opostos ao movimento liberal e/ou progressistas, que também são Trumpistas, são rotulados como racistas, xenófobos, anti-mulher, etc.

O que ninguém parece ter descoberto é como o Trump ainda usa a mídia para avançar sua agenda. O fato de que tudo o que Trump quer é avançar sua agenda não deve ser novidade para ninguém. Mas há algo mais importante por trás do que ele diz e como o diz.

Quando Trump diz algo escandaloso ou impreciso no Twitter, durante uma manifestação ou no Escritório Oval, não só está falando para receber a condenação ou elogios de pessoas que lêem e ouvem o que ele diz. Ele tem um motivo. Este motivo é o que ninguém parece entender ainda.

Trump sabe que suas declarações terão uma cobertura exorbitante da mídia. Ele também sabe que milhares ou milhões de pessoas que o desprezam sintonizam os meios de comunicação e que cada vez que ele ganha toda essa atenção também tem a oportunidade de expor a Elite.

Um exemplo claro foi a alegação que milhões de imigrantes ilegais votaram por Hillary Clinton em 2016. De acordo com Trump, foi a razão pela qual Clinton ganhou o voto popular. Ainda não está claro se ela afirmação é verdadeira ou não, mas Trump conseguiu expor o fato de que a fraude eleitoral é um problema sério e que teve lugar em 2016.

Sabemos disso pelas confissões obtidas pelo Projeto Veritas durante a eleição. Certamente houve fraude eleitoral em 2012, como foi relatado pela mídia. Existem inúmeras formas de realizar fraude eleitoral, como evidenciado por Bev Harris.

Como se observa, Trump é bem conhecido por usar a hipérbole como uma ferramenta para atrair a atenção da mídia e assim expor algo que é motivo de preocupação de seus mais de 60 milhões de seguidores.

Não importa o que alguém pensa sobre a votação; se é importante ou não, fraude eleitoral não deve ser ignorado. Realizar fraude eleitoral é  uma das maneiras em que um sistema semi-democrático pode ser subvertido.

Outro exemplo de como Trump usa a mídia para expor questões que ele considera relevantes é o seu último Tweet sobre Obama. De acordo com Trump, o ex-presidente realizou espionagem na Trump Tower, em Nova York.

Embora Trump não ofereceu nenhuma prova de tal afirmação, ele levantou uma questão muito importante sobre espionagem massiva ilegal realizado pelas agências de inteligência dos EUA contra os americanos e o resto do mundo.

Embora ainda não sabemos se Obama ordenou a espionagem ou se ele sabia sobre a espionagem e não disse nada, o que sabemos é que os membros da campanha Trump foram espionados, enquanto as agências de inteligência escutavam as conversas do embaixador russo.

A acusação de Trump deve ser examinada e identificada como verdadeira ou falso, mas o que é importante para Trump não é necessariamente comprovar se a sua acusação é correta ou incorreta, mas expor a espionagem realizada pela CIA, FBI, a Agência de Segurança Nacional (NSA) e outras agências do Complexo industrial Militar.

Coincidentemente, o Wikileaks já apontou, mais uma vez, como essas mesmas agências utilizam dispositivos como telefones celulares e TVs inteligentes para espionar o tempo todo.

Em suma, Donald J. Trump é um infiltrado no sentido de que não é parte da Elite nem do seu braço de propaganda, a mídia.

Trump foi um candidato presidencial “kamikaze” e parece ser um presidente “kamikaze”; talvez o primeiro de seu tipo.

Ele usa hipérbole para causar indignação entre os opositores e os meios de comunicação, que por sua vez fornecem uma plataforma poderosa para expor os planos da Elite globalista.

Desde o início de sua campanha Trump tem “sacrificado” sua reputação para revelar o que nenhum outro candidato a presidente ou presidente, tem sido capaz de revelar.

Ele fez o mesmo com outras questões importantes, como a fraude da mudança climática causada pela humanidade, vacinas e aborto, e continuará a menos que alguém colocar uma bala na sua cabeça.

A outra explicação para tudo isso, é claro, pode ser que ele é um arrogante, egocêntrico, que só quer publicidade gratuita.

O que você acha? Qual das duas explicações é mais plausível?

Será possível que ninguém na mídia ou o na Elite entende o que Trump está fazendo? Mas se eles entendem, por que não fazem nada para pará-lo?

Por que a mídia não deixa de prestar atenção?

O modus operandi do Trump é a melhor maneira de expor a Elite? É moral? É correta?

Será que Trump está fazendo isto intencionalmente?

Você é o juiz.

O que é certo é que com esta atitude Trump está despertando milhões de pessoas e explicando com sucesso que o mundo em que vivem não é como eles pensam.

About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment