|Tuesday, May 22, 2018
You are here: Home » Português » Estes são os Fatos Reais sobre o Metabolismo da Gordura

Estes são os Fatos Reais sobre o Metabolismo da Gordura 

Metabolismo

Uma em cada dez pessoas no mundo é obesa. Em 2015, 604 milhões de adultos e 108 milhões de crianças são significativamente obesos. No entanto, quase ninguém parece saber exatamente como funciona o metabolismo da gordura.

Qualquer dieta que forneça menos “combustível” do que se queima fará o truque, o problema é que, com tantos equívocos sobre como funciona a perda de peso, poucos sabem por que isso acontecerá.

O mundo é obcecado por dietas da moda com baixo teor de gordura e com perda de peso, mas poucos realmente sabem como um quilo de gordura desaparece da balança. Nem mesmo nutricionistas e personal trainers sabem. Na verdade, eles mostram uma lacuna surpreendente em seu conhecimento sobre saúde.

A resposta errônea mais comum é acreditar que a gordura é convertida em energia.

Se esse fosse o caso, um desastre universal poderia ser desencadeado, porque esse é o processo seguido pelas reações nucleares, aplicando a fórmula de Einstein, em que uma massa muito pequena pode resultar em uma enorme quantidade de energia. Cada um de nós seria uma bomba ambulante.

O problema com essa idéia é que ela infringe a lei que todas as reações químicas obedecem: a da conservação da matéria. A matéria não é criada ou destruída, é transformada.

Há profissionais que pensam que a gordura se torna músculo, algo que é impossível. Outros assumem que ela escapa através do cólon.

Apenas uma pequena amostra de profissionais de nutrição forneceu a resposta correta.

Isso significa que 98% dos profissionais de saúde não conseguem explicar como funciona a perda de peso.

Então, se nenhuma das opções apresentada está correta, para onde vai a gordura?

Estes são fatos reais sobre o metabolismo das gorduras

A resposta correta é que a gordura é convertida em dióxido de carbono (CO2) e água. Nós exalamos dióxido de carbono e misturas de água na circulação até que ela seja eliminada na urina ou no suor.

Assim, por exemplo, se 10 kg de gordura são perdidos, 8,4 kg saem pelos pulmões e os 1,6 kg restantes são convertidos em água.

Em outras palavras, quase todo o peso que perdemos é exalado.

Isso é surpreendente para muitos, mas a realidade é que quase tudo o que comemos é eliminado através dos pulmões.

Cada carboidrato que digerimos e quase todas as gorduras são convertidas em dióxido de carbono e água. O mesmo vale para o álcool.

E as proteínas também compartilham o mesmo destino, exceto por uma pequena parte, que é convertida em uréia e outros sólidos que são excretados na urina.

O único alimento que atinge o cólon não digerido e intacto é a fibra.

Todo o resto é absorvido pela corrente sangüínea e órgãos e fica ali até que nós o vaporizemos.

Na escola, todos aprendemos que, de acordo com o primeiro princípio da termodinâmica, a energia que entra e se acumula é expulsa.

Mas o conceito de energia é realmente confuso, mesmo para profissionais de saúde e cientistas que estudam a obesidade.

A razão pela qual ganhamos ou perdemos peso é muito menos misteriosa se rastrearmos cada quilo de comida que comemos, e não apenas essas calorias.

Muitas vezes, as agências governamentais de saúde levam em conta a quantidade de comida ou bebida que ingerimos a fim de determinar hábitos nutricionais, mas o que não é contado é que as pessoas inalam mais de 600 gramas de oxigênio, e esse número também afeta nossas perdas e ganhos. .

Se colocarmos 5 kg de comida e água em nosso corpo, mais 600 gramas de oxigênio, teremos que remover os 5,6 kg totais ou ganharemos peso. E se a intenção é perder peso terá que remover mais de 5,6 kg.

Mas como perder esses quilos?

Os carboidratos, gorduras, proteínas e açúcares que a maioria das pessoas ingerem todos os dias produzirão quantidades exatas e facilmente determinadas de dióxido de carbono, água, uréia e outros sólidos excretados na forma de urina.

A taxa metabólica de repouso, isto é, a velocidade com que o corpo usa energia quando a pessoa não se move – a partir de uma média, produz aproximadamente 590 gramas de dióxido de carbono por dia.

Nenhum remédio para emagrecer aumentará esse número, apesar das alegações ousadas que chegamos a escutar.

A boa notícia é que exalamos 200 gramas de dióxido de carbono todas as noites enquanto dormimos, então, expiramos um quarto da meta diária antes mesmo de sair da cama.

Se a gordura se transforma em dióxido de carbono, simplesmente respirar mais pode ajudar a perder peso?

Infelizmente não. Respirar mais do que precisamos é chamado de hiperventilação e a única coisa que você consegue com isso é tontura ou desmaio.

A única maneira de aumentar a quantidade de dióxido de carbono produzido pelo corpo é movendo os músculos. É por isso que a musculação ​​torna sua barriga menor do que com exercícios aeróbicos.

Mas aqui está uma boa notícia. Simplesmente levantar-se e vestir-se mais que dobra a taxa metabólica.

Em outras palavras, se passarmos 24 horas experimentando todas as roupas que temos, exalaríamos mais de 1.200 gramas de dióxido de carbono.

Outros exemplos mais realistas incluem caminhar, que triplica a taxa metabólica e, também, cozinhar, aspirar ou varrer.

Metabolizar 100 gramas de gordura consome 290 gramas de oxigênio e produz 280 gramas de dióxido de carbono e 110 gramas de água.

A comida que comemos não pode alterar esses números. Portanto, para perder 100 gramas de gordura, você tem que exalar 280 gramas de dióxido de carbono, além do que é produzido pela vaporização de todos os alimentos, não importando qual alimento seja.

Qualquer dieta que forneça menos “combustível” do que a queima fará o truque, o problema é que, com tantos equívocos sobre como funciona a perda de peso, poucos sabem por que a perda de peso acontecerá.

Faça um nutricionista enlouquecer. Peça-lhe para explicar exatamente como é o mecanismo da queima da gordura no seu corpo.

A propósito, como a gordura é eliminada pela respiração e produção de CO2, você entende por que não é uma boa ideia aplicar um imposto sobre as emissões de CO2?

Se você não entendeu, permita-me resumir brevemente:

Um imposto, ou pior ainda, um limite nas emissões de CO2 significa que, eventualmente, será caro respirar, e todos nós precisamos respirar para viver, não é mesmo?

Você concorda comigo agora?

About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment