|Thursday, March 23, 2017
You are here: Home » Português » Políticas Ambientalistas fortalecem o poder do Governo enquanto enfraquecem os Direitos da População

Políticas Ambientalistas fortalecem o poder do Governo enquanto enfraquecem os Direitos da População 

População

Desde a produção de alimentos até a taxa de natalidade, os direitos indivíduais estão sendo limitados por politicas governamentais impostas pela ONU.

Nenhuma pessoa que entende o quão importante é o meio ambiente para a nossa sobrevivência se negaria a utilizar os recursos naturais de forma inteligente, preservando-os para as gerações futuras.

Fazendo uso adequado do meio ambiente e os recursos que ele oferece para a sobrevivência é o que chamou a atenção das pessoas para o ambientalismo. No entanto, no caminho para preservar o estado primitivo do planeta, alguns “supostos ambientalistas” decidiram tomar um caminho diferente.

Enquanto a sua mensagem continua sendo sobre a preservação do planeta, as suas ações tomaram outro caminho. O plano destes supostos ambientalistas não é preservar os recursos naturais para que eles estejam disponíveis para as futuras gerações, mas, sim, despojar as pessoas do direito à propriedade privada e baixar os seus padrões de vida.

Qualquer item, desde a produção de alimentos até a taxa de natalidade é válido para aqueles que querem passar as diretivas das Nações Unidas sobre a “Agenda 21” e o “Desenvolvimento Sustentável”, que estão, dissimuladamente e negativamente, afetando a vida das pessoas em todo o mundo.

Copiando e aplicando políticas tiradas do modelo soviético de controle governamental, o esforço das Nações Unidas para limitar o direito dos cidadãos de possuirem uma casa, conduzirem livremente em seu país e de comerem carne, se assim o desejarem, está amarrando nossas mãos e fortalecendo o poder do governo para decidir que tipo de vida devemos viver.

Então, como a Agenda 21 e o chamado Desenvolvimento Sustentável afetam as pessoas e como isso afeta você, não importa onde você esteja?

Um dos fatos mais assustadores sobre as políticas da Agenda 21 e do Desenvolvimento Sustentável é a sua intenção de reduzir, drasticamente, a população do mundo à força.

A política do filho único na China, que é parte da agenda de depopulação naquele país, fez com que o governo repensasse suas políticas de natalidade dado o declínio na população que tal política tem causado. O modelo chinês de depopulação e controle populacional é visto pelos governos em todo o mundo como uma forma desejável de limitar as taxas de natalidade.

Em outros países, a depopulação tomou uma forma diferente. Os governos têm usado armas dissimuladas em uma guerra silenciosa contra seus povos. Campanhas e políticas que, na superfície, parecem ser benéficas para a saúde das pessoas e o seu bem-estar, como a contracepção e o direito ao aborto, são meras frentes para a depopulação em massa e a esterilização de homens e mulheres.

A agenda da depopulação, conforme explicado no vídeo abaixo, chegou aos currículos escolares, onde as crianças estão sendo ensinadas que a humanidade é um câncer e que as pessoas devem ser impedidas de nascerem ou viverem por muito tempo se quisermos salvar o meio ambiente e o planeta.

As políticas da Agenda 21 e do chamado programa de Desenvolvimento Sustentável têm afetado as comunidades locais ao redor do mundo por décadas, desde a sua criação em 1992. Desde então, grupos de pessoas têm sido expostos a esta lavagem cerebral e estão trabalhando para que as políticas da Agenda 21 sejam ensinadas e aplicadas sem qualquer atraso por todo o planeta.

Desenvolvimento urbano, transporte, crescimento econômico, taxas de natalidade, propriedade privada estão sendo restringidos por agências governamentais que estão trabalhando com as Nações Unidas na redução dos padrões de vida e da população em todos os lugares.

Outros aspectos da vida humana que estão sendo limitados pelas políticas  da Agenda 21 e do Desenvolvimento Sustentável incluem proibir acesso à terra, transferir pessoas das áreas rurais para as cidades para estarem sob o controle do governo, restringir o uso da água, elevar preços do gás e, claro, impor impostos mais elevados em qualquer forma de atividade humana.

About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment