|Saturday, February 16, 2019
You are here: Home » Português » De multitarefa a improdutivo: Como a tecnologia tornam você inútil

De multitarefa a improdutivo: Como a tecnologia tornam você inútil 


tecnologia

Baixa produtividade não é resultado de má organização.

Hoje, temos uma enorme quantidade de ferramentas e sistemas que nos ajudam a medir, gerenciar e maximizar nosso desempenho.

O campo de batalha tecnológico está cheio de milhares de aplicativos e softwares que visam melhorar nosso dia.

Alguns sites de tecnologia, como o Zapier, mencionam até 25 aplicativos para melhorar nossa produtividade pessoal e gerenciar bem o tempo, quando uma pessoa só precisa usar entre quatro e cinco aplicativos por dia.

Um estudo realizado pelo McKinsey Global Institute (MGI) sobre o uso de tecnologia para produtividade, explica que as pessoas gastam 61% do seu tempo gerenciando tarefas no lugar de executar as tarefas.

Ou seja, mais da metade do dia é gasto na organização ou avaliação de situações de trabalho por meio de diferentes ferramentas e aplicativos, e isso é um verdadeiro revés.

Muitos aplicativos oferecem gráficos para mostrar que você não tem sido produtivo, o que pode gerar ainda mais desmotivação.

Excesso de aplicativos inúteis

Quantos aplicativos temos em nosso desktop que não usamos para absolutamente nada?

Uma pesquisa realizada por uma das empresas pioneiras em marketing de entrada, a Hubspot, analisou precisamente o risco do uso da tecnologia no trabalho e determinou que, quanto mais tecnologia você usa, menos eficiente você é.

Eles descobriram que usar muitas ferramentas e aplicativos de produtividade era contraproducente e ineficaz, dada a redundância de muitos deles.

A pesquisa enfatiza o fato de termos muitos aplicativos que são repetidos ou muito parecidos para propósitos semelhantes e que, mesmo assim, escrevemos em lápis e papel.

Também enfrentamos a realidade de que, na maior parte do tempo, passamos observando o celular com muita frequência.

Ter adquirido esse hábito transforma os aplicativos em desculpas para ver como o seu desempenho está, por exemplo, mas faz com que você se desvie inconscientemente de outros aplicativos, diz a psicóloga Lara Garcia.

A psicologia da produtividade

O pilar fundamental para ser produtivo é minimizar as interrupções, tanto quanto possível.

No ano passado, a American Psychological Association (APA) coletou informações sobre a importância de aumentar a capacidade de atenção em uma única tarefa e de reduzir completamente as distrações digitais para serem mais produtivas.

É muito fácil perder uma hora navegando em busca do aplicativo perfeito enquanto tocamos entre todos os que existem. 

 A Organização Mundial da Saúde explica que profissionais em muitos países experimentam comportamentos compulsivos ligados à tecnologia.

Embora a tecnologia possa ser uma ferramenta importante para ser produtivo, o mais importante é a motivação pessoal.

O essencial é saber o que aprendemos com nosso trabalho, como ele nos enriquece e como podemos contribuir com no lugar de trabalho e com outras pessoas.

Quando não temos um objetivo ou prioridades claros, a distração é ainda maior e, consequentemente, somos menos produtivos.

Nesse caso, qualquer interrupção é uma distração que nos afasta de uma tarefa que planejamos, e também prejudica o uso do nosso tempo.

As redes sociais são o inimigo?

A psicologia do trabalho abordou amplamente a questão, e alguns especialistas já revisaram fórmulas diferentes para melhorar a produtividade do trabalho.

Eles destacam um aplicativo, chamado Freedom for Firefox, para bloquear as redes sociais e a internet por um período de tempo e a restrição total de dispositivos móveis durante uma tarefa específica.

Existem inúmeras investigações, como a publicada no Journal of Organizational and End User Computing, que fala sobre o uso da tecnologia e das redes sociais no local de trabalho, garantindo que os indivíduos, graças a essas ferramentas, se tornem mais sociáveis ​​no trabalho, embora sua produtividade diminua.

Um debate muito amplo e complexo está aberto, uma vez que a tecnologia também é necessária e essencial em setores como comunicação, marketing digital e outros.

Com algumas exceções, a perspectiva é um pouco desanimadora.

Um relatório final do Grupo Adecco sobre o presenteísmo no local de trabalho estimou que 90% das empresas detectam o uso de redes sociais durante o horário de trabalho, fato que nos dá uma idéia do risco representado por esses aplicativos em termos de produtividade.

Deve ser dito que a tecnologia é apenas um método para alcançar objetivos e que nunca deve ser um fim em si mesmo.

Ferramentas como e-mail, celular e WhatsApp, entre outros, devem ser limitadas e usadas a nosso favor, usando esses aplicativos em um horário definido e específico, mas nada mais.

About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment