|Monday, November 12, 2018
You are here: Home » Português » Inseticida Clorpirifós inibe o Desenvolvimento Cerebral

Inseticida Clorpirifós inibe o Desenvolvimento Cerebral 


Clorpirifós

O uso generalizado de pesticidas na agricultura e na jardinagem não afeta apenas os animais. A exposição a estas toxinas também se estende aos humanos.

Pesquisas conduzidas por cientistas da Universidade Duquesne, nos Estados Unidos, descobriram que a exposição a baixas doses do inseticida clorpirifós, um dos mais utilizados na agricultura nas últimas décadas, afeta negativamente o desenvolvimento do cérebro em rãs.

Os resultados deste estudo levantam suspeitas sobre o risco neurológico – também em humanos – associados a este tipo de produtos organofosforados.

O Clorpirifós é um inseticida organofosforado cristalino comercializado mundialmente desde 1965 que inibe a acetilcolinesterase, causando intoxicação pelo colapso do sistema nervoso do inseto.

 

A exposição crônica a esta substância comercializada sob nomes como Brodan, Detmol UA, Dowco 179, Dursban, Império, Eradex, Inaclor, Lorsban, Paqeant, Piridane e Scout, tem sido associada a efeitos neurológicos em humanos, distúrbios do desenvolvimento e distúrbios autoimunes.

O uso disseminado de pesticidas na agricultura e na jardinagem não afeta apenas os insetos e ervas que se pretende controlar, mas, também, freqüentemente contamina os habitats naturais e vários organismos que não são alvo de tal  tratamento.

Inseticidas e herbicidas podem afetar involuntariamente várias espécies, especialmente em ambientes aquáticos, mesmo em níveis muito baixos de concentração ou exposição indireta, por exemplo, animais que se alimentam de plantas contaminadas.

A nova pesquisa foi realizada com girinos e espécimes adultos  do sapo leopardo e os resultados publicados na revista científica mostram que a exposição a esta substância química pode danificar o sapo-leopardo do norte, inibindo o desenvolvimento do cérebro.

Os autores indicam que o dano foi observado mesmo em situações em que o pesticida não causou uma diminuição na fonte de alimento dos anfíbios.

“Os pesticidas organofosforados contaminam as águas superficiais dos Estados Unidos, expondo animais e seres humanos a esses produtos químicos, geralmente em níveis muito baixos.

Este estudo mostra que a exposição a esses poluentes, mesmo nessas baixas concentrações, afeta o neurodesenvolvimento dos vertebrados “, disse a principal autora do estudo, a professora Sara McClelland.

O sapo leopardo é uma espécie de anfíbio da família Ranidae. Seu habitat natural se estende do sul do Canadá ao nordeste do México. Também está presente em muitas outras partes do planeta por introdução humana ou expansão acidental.

About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment