|Tuesday, September 25, 2018
You are here: Home » Português » Facebook: Espionagem sem Limites

Facebook: Espionagem sem Limites 


Mídias Sociais

Em 228 páginas, Facebook descreve como opera com relação aos dados do usuário. Um dos aspectos mais controversos é a coleta de informações.

Até que ponto o Facebook consegue ir tão longe quanto a espionar você? Talvez uma pergunta melhor seria: Quais dados o Facebook não pode coletar de seus usuários?

A resposta é que a empresa pode coletar quase tudo. Pela sua própria admissão publica, as práticas da rede social vão além de qualquer coisa que você provavelmente poderia pensar.

Em um documento enviado ao Senado dos Estados Unidos, o Facebook responde ponto a ponto às questões colocadas por essa instituição.

Em 228 páginas, a empresa expõe a maneira como opera com relação aos dados do usuário. Um dos aspectos mais controversos é a coleta de informações.

A empresa de Mark Zuckerberg lista repetidamente como coleta dados específicos sobre os dispositivos do usuário e como eles são usados.

No computador, um dos parâmetros mais impressionantes que o Facebook monitora são os movimentos do mouse. Tradicionalmente, esse tipo de rastreamento, conhecido como rastreamento de mouse, é usado para saber como os usuários se comportam dentro de uma plataforma de software, com o objetivo de coletar informações para supostamente melhorar sua interface.

No computador, o Facebook controla os movimentos do cursor do mouse, bem como se uma janela está no primeiro ou no segundo plano.

A empresa acrescenta entre parênteses que esse tipo de informação “pode ajudar a distinguir humanos de robôs”.

Ele também aponta que informação é coletada de um usuário através dos múltiplos dispositivos que ele usa, como computadores, smartphones, TVs conectadas. Essa informação é logo analisada para “ajudar a fornecer a mesma experiência personalizada onde quer que as pessoas usem o Facebook”.

O documento não esclarece se o Facebook usa os movimentos do mouse para mais do que distinguir entre humanos e robôs, mas também não explica se somente usa exclusivamente para essa finalidade.

No passado, a rede social foi acusada de usar métodos de rastreamento de mouse para determinar não apenas em quais anúncios um usuário clica, mas também em quais pontos da tela ele olha e por quanto tempo.

Esse tipo de informação é importante porque o lugar onde o cursor para coincide em muitas ocasiões com o ponto em que focamos nossa atenção, de acordo com especialistas em rastreamento de mouse.

A espionagem do Facebook não fica apenas no rastreamento de mouse. Também coleta dados sobre a bateria, armazenamento ou seu operador de internet.

No memorando enviado ao Senado, o Facebook também lista as informações que coleta sobre os atributos do dispositivo que o usuário usa.

Eles são o sistema operacional, as versões de hardware e software, o nível da bateria, a capacidade de armazenamento disponível, entre outras.

O Facebook também coleta informações sobre o tipo de navegador e os tipos e nomes de aplicativos e arquivos instalados.

A empresa também tem a capacidade de acessar o sinal Bluetooth, bem como rastrear informações sobre hotspots de Wi-Fi próximos, torres de telecomunicações ou outros dispositivos emissores de sinais, como beacons.

O nome da operadora de celular de um usuário ou seu provedor de Internet são outros dados que a rede social conhece.

Nesta seção relacionada à conexão, o Facebook também detecta “o número de telefone, o endereço IP, a velocidade da conexão e, em alguns casos, informações sobre os dispositivos que estão próximos ou na mesma rede, tais como celulares, tablets, notebooks e outros.”

Informações sobre a localização do GPS, bem como o acesso à câmera e à galeria de fotos são outros aspectos, já amplamente conhecidos, que a empresa lista no documento como dados que coleta ilegalmente dos usuários.

Sim, fica claro, antes de várias perguntas em todo o documento, que “Facebook não usa o microfone do telefone do usuário ou qualquer outro método para extrair áudio” para influenciar os anúncios ou determinar o que aparece para o usuário em seu feed de notícias. Esta afirmação é falsa. O Facebook acessa sim o microfone e a câmera cada vez que o usuário tira um selfie e o posta online, ou cada vez que grava um stories.

Depois de mentir tanto e depois de esconder tanta informação sobre suas operações, não há como alguém acreditar em qualquer coisa que o Facebook faça além de as suas violações contínuas da privacidade do usuário.

Espionagem de relance

A coleta ilegal de dados do Facebook não está limitada à sua lista de amigos, localização geográfica ou postagens. Vai muito além do que você imagina, em todos os seus dispositivos (computadores, smartphones, TVs conectadas).

  • Rastreamento de mouse
  • Versão de hardware
  • Versão do software
  • Desempenho da bateria
  • Armazenamento
  • Operador de Internet
  • Sistema operacional
  • Aplicativos e programas instalados
  • Conexão Bluetooth
  • Pontos de acesso Wi-Fi
  • Torres de telecomunicações
  • Operador móvel
  • provedor de internet
  • Número de telefone
  • endereço de IP
  • Velocidade de conexão
  • Dispositivos que estão próximos ou na mesma rede
  • A câmera
  • galeria de fotos
About the author: Luis R. Miranda

Luis Miranda is an award-winning journalist and the Founder and Editor of The Real Agenda News. His career spans over 20 years and almost every form of news media. He writes about environmentalism, geopolitics, globalisation, health, corporate control of government, immigration and banking cartels. Luis has worked as a news reporter, On-air personality for Live news programs, script writer, producer and co-producer on broadcast news.

Add a Comment