Por Luis R. Miranda
The Real Agenda
14 de janeiro de 2012

Pela primeira vez o vício da internet tem sido associado com mudanças no cérebro semelhantes às observadas em pessoas viciadas em álcool, cocaína e cannabis. Em um estudo pioneiro, os pesquisadores utilizaram ressonância magnética para revelar anormalidades nos cérebros de adolescentes que passavam muitas horas na internet, em detrimento de suas vidas pessoal e social. A descoberta pode mostrar outros problemas de comportamento e levar ao desenvolvimento de novas abordagens ao tratamento, disseram pesquisadores.

Cerca de 5 a 10 por cento dos usuários de internet são considerados como viciados – o que significa que são incapazes de controlar seu uso. A maioria são jogos de jogadores que se tornam tão absortos na atividade que passam as horas sem comer ou beber por longos períodos e sua educação, trabalho e relacionamentos sofrem.

Henrietta Bowden Jones, psiquiatra do Imperial College de Londres, que dirige a clínica da Grã-Bretanha NHS só para viciados em internet e jogadores problemáticos, disse: “A maioria das pessoas que vemos com o grave vício da internet são os jogadores – pessoas que passam longas horas em vários jogos que fazem com que desrespeitem as suas obrigações. Eu tenho visto pessoas que pararam de assistir a palestras da universidade, não conseguiram os seus diplomas e seus casamentos acabaram porque eles foram incapazes de se conectar emocionalmente com qualquer coisa fora do jogo. ”

Embora a maioria da população estava gastando mais tempo online, não havia provas de vício, ela disse. “É diferente agora. Estamos fazendo o estudo porque a vida moderna obriga-nos a manter comunicação através da rede no que respeita ao emprego, relações profissionais e sociais -.. Mas não de forma obsessiva. Quando alguém chega até você e diz que não dormiu na noite passada porque passou 14 horas jogando jogos, e foi a mesma da noite anterior, e eles tentaram parar, mas eles não podiam -. você sabe que eles tem um problema. Ele tende a ser o jogo”.
Pesquisadores na China escanearam os cérebros de 17 adolescentes com diagnóstico de “transtorno de dependência de internet” que havia sido encaminhada ao Centro de Saúde Mental de Xangai, e compararam os resultados com scanners de 16 de seus colegas.

Os resultados mostraram comprometimento das fibras da matéria branca no cérebro e as ligaçoes entre as regiões envolvidas no processamento emocional, atenção, toma de decisões e controle cognitivo. Mudanças semelhantes na substância branca têm sido observadas em outras formas de dependência a substâncias como álcool e cocaína.

“As descobertas sugerem que a integridade da substância branca pode servir como um alvo para tratamento terapêutico ao tratar o problema do vício em internet”, dizem no jornal Public Library of Science One. Os autores reconhecem que eles não podem dizer se as mudanças cerebrais são a causa ou a consequência do vício em internet. Pode ser que os jovens observados com as mudanças cerebrais sejam mais propensos a se tornarem dependentes.

Professor Michael Farrell, diretor do Centro Nacional de Medicamentos e Centro de Pesquisa do Álcool e Drogas da Universidade de New South Wales, Austrália, disse: “As limitações [deste estudo] é que ele não é controlado, e é possível que as drogas ilícitas, álcool ou cafeína, entre outros estimulantes, possam explicar as alterações. A especificidade do “vício da internet” também é questionável. ”

Estudos de caso: Sumido na web

Sujeito viciado no Xbox morre por coágulo de sangue após 12 horas de jogar

Chris Staniforth, 20, morreu de um coágulo de sangue, depois de passar até 12 horas de cada vez jogando em seu Xbox. Apesar de não ter histórico de problemas de saúde, ele desenvolveu trombose venosa profunda – comumente associados com passageiros que viajam de avião por longas distâncias. O Sr. Staniforth, de Sheffield, tinha sido oferecido um lugar para estudar design de jogos na Universidade de Leicester. Mas ele entrou em colapso, enquanto um amigo dizia que ele estava tendo dores no peito.
Criança morreu de fome enquanto a mãe jogaba on-line.

A mãe foi presa por 25 anos após sua filha morrer de fome enquanto a mãe jogava um jogo online por muitas horas. Rebecca Colleen Christie, 28, do Novo México em os EUA, jogou o jogo World of Warcraft Fantasia, enquanto sua filha de três anos, Brandi, passava fome. O bebê pesava apenas 23 libras, quando ela foi finalmente levada para o hospital depois que sua mãe encontrou-a inconsciente.

Mulher presa após jogar e não conseguir pagar

Uma mulher que roubou £ 76,000 de uma empresa para financiar seu vício de apostas pela internet foi presa nesta semana. Lucienne Mainey, 41, de Cambridgeshire, foi condenada a 16 meses de prisão em Ipswich Crown Court depois de admitir fraude. O tribunal ouviu que ela secretamente pagava-se alterando faturas antigas. Mainey virou viciada no bingo depois do fracasso de seu casamento.

Artigo traduzido do original: Scientists show how internet dependency alters the human brain

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like

O vírus é real, a pandemia nem tanto

Como o vírus, todos aqueles que espalham mentiras sobre COVID serão extintos…

Você nasceu perpetuamente endividado

Quem não contraiu dívida voluntariamente, herdada do Estado. Em muitas culturas antigas…