|Monday, August 10, 2020
You are here: Home » Português » A ciência contradiz “especialistas” sobre o confinamento e disseminação do Coronavírus

A ciência contradiz “especialistas” sobre o confinamento e disseminação do Coronavírus 


Ontem, revelamoa o que acreditamos ser um comportamento negligente por parte de governos, políticos e médicos em relação à pandemia do Covid-19 causada pelo vírus SARS CoV-2.

Apresentamos evidência para desmistificar as crenças sobre a extensão do contágio causado pelo Covid-19 incluindo o fato de que o vírus pode ser transmitido pela inalação de partículas de ar contaminadas a distâncias superiores de um metro e meio, que é a distância que os especialistas recomendam.

Ontem, mostramos como as amostras de análise da qualidade do ar provam que o vírus permanece nos ambientes por mais tempo do que nos é divulgado na mídia.

O vírus não apenas permanece no ar como se espalha a distâncias entre 3 a 5 metros em poucos minutos.

Hoje, temos mais provas de que o vírus não chega ao chão, mas que existem partículas muito pequenas que flutuam no ar e o que os “especialistas” falam sobre o contágio está errado.

A infecção pelo Covid-19 poderia ser menos significativa se os chamados especialistas e burocratas encarregados de ditar resoluções, supostamente, evitassem o contágio em massa e baseassem suas conclusões na ciência.

Um novo experimento realizado na China mostra que, não apenas é aconselhável o uso de máscaras para proteção contra o coronavírus, como o seu uso deve ser uma prática diária que poderia ter impedido a propagação do Covid-19 para milhares de pessoas caso tivesse sido aplicada desde o início.

Uma das formas mais comuns de infecção é a inalação de partículas de saliva que contêm o vírus SARS CoV-2. Quando alguém espirra ou tosse, as partículas que saem de uma pessoa infectada não ficam apenas em suas roupas ou rosto mas se espalham rapidamente pelo ar além do 1,5 metro que nos foi dito.

Mas, você não precisa tossir ou espirrar para contaminar outra pessoa. De acordo com o experimento realizado na Universidade de Toho, na China, uma pessoa infectada pode contaminar outra pessoa durante uma conversa, mesmo que a distância recomendada de 1,5 metro seja mantida. A infecção ocorre através de gotículas que viajam além do que uma gota de saliva viaja, por exemplo.

Para observar essas partículas e seu movimento, câmeras especiais e raios laser foram utilizados em laboratório. Gotas com tamanho de 0,1 micrômetro foram observadas no experimento. Embora gotas de até um milímetro caiam rapidamente no chão, milhares de outras gotas vão além do chamado “espaço seguro”.

Partículas menores que 10 mícrons permanecem no ar e, depois, se movem com as correntes de vento. Como visto na imagem abaixo, uma simples conversa dispersa dezenas de partículas que não são visíveis a olho nu.

Particles smaller than 10 micrometers float in the air during a normal conversation.

Ao contrário do que os “especialistas” nos disseram, o risco de contaminação e infecção se torna muito maior em locais fechados sem ventilação adequada, o que é o cenário comum na maioria das casas e apartamentos.

Na sequência de fotos a seguir, é possível ver a velocidade com que as micropartículas se expandem dentro de uma sala comum mesmo a distâncias superiores a um metro e meio.

A sneeze, even at a distance of 2 or 3 meters is capable of contaminating a room and delivering small particles beyond the recommended distance.

Particles of all sizes can reach people’s faces at distances greater than 3 meters.

Enquanto as gotas maiores em cores azul e verde caem no chão em pouco tempo, as vermelhas permanecem no ar e se espalham por distâncias maiores.

While blue and green particles fall on the ground in just one minute, the red particles remain in the air for longer periods of time.

Mas, a propagação de partículas contaminadas não se limita a alguns metros ou alguns minutos. Como você verá na imagem abaixo, as menores partículas – de 1 micrômetro – se movem ainda mais e contaminam as pessoas em apenas 20 minutos.

Full contamination is reached in under 20 minutes.

Como esse experimento demonstra, é de extrema importância usar máscara sempre que sair de casa, manter sua casa ou apartamento com circulação de ar adequada e usar máscara que ofereça a capacidade de respirar especialmente se houver alguém que estejacom  suspeita ou a confirmação de estar doente com coronavírus compartilhando espaços fechados com o resto da família.

Tanto o estudo que apresentamos ontem quanto esse novo experimento demonstram que as autoridades de saúde têm sido, no mínimo, negligentes ao lidar com o coronavírus e se, desde o início, tivessem usado o bom senso e o pensamento crítico, milhares de pessoas poderiam ter evitado a infecção com Covid-19.

O Governo Chinês, a Organização Mundial de Saúde e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, juntamente com as autoridades de saúde de todo o mundo, são diretamente responsáveis ​​pelo contágio de milhares de pessoas e, talvez, pela morte de muitas delas.

Como explicam os especialistas, não usar máscara é a principal razão pela qual tantas pessoas ficaram doentes.

“Com base em dados recentes, sabemos que, em toda a população, o uso de máscara é essencial para a supressão do surto”, explica Vojtech Petracek, PhD e professor associado da Universidade Técnica Tcheca.

“De acordo com nossa experiência profissional, máscaras caseiras simples podem impedir 100% da propagação de partículas”, diz Vladimir Zdimal, PhD e chefe do Departamento de Química da Academia Tcheca de Ciências.

“Quanto mais pessoas com máscaras, menos o vírus pode ser distribuído e menos pessoas serão expostas”, acrescenta Emil Pavlik, PhD, Microbiologista e Virologista.

Se você não ficou doente, use uma máscara sempre que sair de casa ou mesmo dentro de casa se morar com pessoas com maior risco de serem infectadas.

Many people like you read and support The Real Agenda News’ independent, journalism than ever before. Different from other news organisations, we keep our journalism accessible to all.

The Real Agenda News is independent. Our journalism is free from commercial, religious or political bias. No one edits our editor. No one steers our opinion. Editorial independence is what makes our journalism different at a time when factual, honest reporting is lacking elsewhere.

In exchange for this, we simply ask that you read, like and share all articles. This support enables us to keep working as we do.

About the author: Luis R. Miranda

Luis R. Miranda is an award-winning journalist and the founder & editor of The Real Agenda News. His career spans over 23 years in every form of news media. He writes about environmentalism, education, technology, science, health, immigration and other current affairs. Luis has worked as on-air talent, news reporter, television producer, and news writer.

Add a Comment