NaturalNews.com
Traducao: Luis R. Miranda

A controversa e potencialmente letal vacina contra o Anthrax poderia ser testada em crianças nos EUA se o governo federal consegue seu objetivo. Apesar de relatos de eventos adversos relacionados à vacina entre indivíduos adultos quem foram injetados, incluindo internação e a morte, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (DHHS) está estudando a possibilidade de testar a vacina em crianças.

Nicole Lurie, a Assistente da Secretária para a Preparação e Resposta do DHHS, solicitou recentemente que a National Biodefense Science Board apresentar uma avaliação dos problemas de segurança relacionados com os testes da vacina contra o anthrax nas crianças. O DHHS identifica os testes como uma questão de preparação. No entanto, a possibilidade de testar a vacina em crianças ignora os perigos da vacina, e levanta o espectro de classe e / ou seleção baseada na raça dos indivíduos que fazem exames médicos.

Mesmo em 2001, quando cartas contendo anthrax foram enviadas a vários líderes do Congresso, aumentando os temores nacionais durante o período post-9/11, Bill First, um médico e então líder da maioria no Senado, pediu cautela no uso da vacina contra o anthrax. Ele disse à CNN: “Há muitos e potencialmente graves efeitos secundários da vacina e quem optar por receber a vacina precisa ser toma-la de forma consciente. Eu não recomendo a inoculação generalizada. Há muitos efeitos colaterais e se há chance limitada de exposição os efeitos colaterais superariam qualquer vantagem potencial.”

Um relatório de 2007 da CDC, juntamente com os Centros de Saúde e Vacinação do Departamento de Defesa e a ONG Government Accountability estimou que “entre 1 e 2 por cento” dos militares vacinados, experimentaram “efeitos adversos graves, que podem resultar em deficiência ou morte “.

Se uma vacina com esse tipo de fama vai ser testada em crianças, temos que perguntar quais as crianças. É quase certo que as crianças não serão os filhos e filhas dos funcionários públicos de alto escalão ou vice-presidentes e CEOs das empresas.

A história das provas médicas em pessoas estão cheias de classismo, racismo e oportunismo, quando se investiga como os agentes de saúde selecionam aqueles com menos educação e menos opções para ser insignificantes cobaias em experiências médicas supostamente em nome do avanço científico.

Você não tem que ser um teórico da conspiração ou professor de história para saber sobre o famoso experimento Tuskegee em que o Serviço de Saúde Pública dos EUA injetou com sífilis infectados a homens negros para medir os efeitos da doença.

Em outubro de 2010, o presidente Barack Obama pediu desculpas à Guatemala por testes feitos durante a década de 1940 quando o Serviço de Saúde Pública dos EUA usou prostitutas deliberadamente para infectar 700 prisioneiros, soldados e pacientes com problemas mentais e emocionais com sífilis tanto por meio de visitas com prostitutas como derramando bactérias para experimentar com a doença em na pele sobre os corpos dos sujeitos.

Testes de vacinação tem seu próprio lugar especial nos anais deste tipo de “investigação médica”. No início de 1960, crianças com deficiência mental em uma escola estadual residencial em Nova York foram deliberadamente infectados com hepatite viral, para que pudessem ser sujeitos de teste para a doença.

Em 1978, a CDC fez um experimento com uma vacina contra a hepatite B, procurou “homossexuais masculinos promíscuos” voluntários tem algumas ligações interessantes tanto com o VIH e outras doenças raras anteriormente associadas com o vírus da AIDS. Tão recentemente quanto 1990, o CDC e Kaiser Pharmaceuticals deram a 1.500 negros e hispânicos de 6 meses de idade uma vacina contra o sarampo não aprovada e sem o consentimento dos pais.

(Para mais detalhes destas e outras histórias verdadeiras da vida histórias de horror de experimentação médica, consulte http://www.naturalnews.com/022383.html).

Fontes para este artigo incluem:

http://www.ahrp.org/cms/content/vie…
http://bioprepwatch.com/news/243663…
http://anthraxvaccine.blogspot.com/…
http://blogs.abcnews.com/politicalp…
http://www.cdc.gov/tuskegee/timelin…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like

The middle class that vanished

  One of the giants of the South experiences the highest rates…

The TB pandemic that nobody sees, but that kills millions a year

  31.8 million people will have died by 2030 if tuberculosis is…