|Sunday, July 5, 2020
You are here: Home » Português » O Pecado Capital da Educação: A falta de incentivo para aprender

O Pecado Capital da Educação: A falta de incentivo para aprender 


Learning

Se você soubesse de tudo, que incentivo você teria para encontrar coisas novas para aprender? Provavelmente nenhum. Bem, essa é a realidade do sistema educacional tradicional.

A maioria das aulas, incluindo as de idiomas, cujo espelho é o modelo educacional tradicional, baseia seus métodos em fornecer respostas e conteúdo, em vez de permitir que os alunos os encontrem sozinhos. Em outras palavras, o desejo de conhecer e aprender não é incentivado.

Em um mundo onde a informação está amplamente disponível, não faz sentido continuar baseando o aprendizado na dosagem das respostas, mas sim em aumentar a capacidade de fazer perguntas.

Quanto mais um conteúdo é memorizado e repetido, menos se aprende e, do mesmo modo, mais a emoção da descoberta desaparece.

A diferença entre evolução e revolução é que, se as respostas mudaram no primeiro, o segundo mudou as perguntas.

Na educação, apesar da enorme revolução que vivemos, as pessoas continuam a dar novas respostas -mesmo algumas não tão novas- às perguntas usuais.

Um sintoma inequívoco disso seria a constante obsessão com as profissões do futuro, embora não seja muito claro se no futuro haverá profissões porque o conceito de trabalho e emprego é questionado em um ambiente de inteligência artificial e crescente automação .

Provavelmente é assim porque pode ser mais fácil vender mais cursos sobre as profissões de amanhã do que pensar criticamente se haverá ou não profissões.

Continuamos tentando descobrir quais são as habilidades necessárias para trabalhos que ainda não existem e que talvez nunca existirão quando o óbvio é que o futuro passará de atitudes e não de habilidades.

Na (des) educação, o treinamento em pensamento crítico é essencial para os desafios futuros, que não são cobertos pelo conteúdo fornecido pelos professores, mas com o que os alunos descobrem por conta própria.

Nosso atual modelo de aprendizado pode nos permitir aprender tudo o que sabemos que não sabemos, mas deixará no escuro aquele enorme universo de coisas que nem sabemos que não sabemos.

Podemos ser cientistas de dados, poetas, físicos quânticos ou filósofos, mas acima de tudo, nunca podemos perder a emoção de descobrir.

Em um mundo com todas as informações disponíveis, devemos ensinar a perguntar para poder continuar descobrindo.

Many people like you read and support The Real Agenda News’ independent, journalism than ever before. Different from other news organisations, we keep our journalism accessible to all.

The Real Agenda News is independent. Our journalism is free from commercial, religious or political bias. No one edits our editor. No one steers our opinion. Editorial independence is what makes our journalism different at a time when factual, honest reporting is lacking elsewhere.

In exchange for this, we simply ask that you read, like and share all articles. This support enables us to keep working as we do.

About the author: Luis R. Miranda

Luis R. Miranda is an award-winning journalist and the founder & editor of The Real Agenda News. His career spans over 23 years in every form of news media. He writes about environmentalism, education, technology, science, health, immigration and other current affairs. Luis has worked as on-air talent, news reporter, television producer, and news writer.

Add a Comment