Seria preciso muito pouco para erradicar a grande parte da toxicidade do nosso mundo moderno, mas a iniciativa da elite dominante é destruir.

Quando pensamos em uma vacina, pensamos em uma injeção no braço. No entanto, tem sido sugerido que este pode não ser o melhor método de vacinação para muitas doenças.

Investigadores desenvolveram um novo tipo de vacina inalável. Nanotecnologia e vacinas inaláveis ​​podem ser a chave para o futuro, no que diz respeito ao próximo passo no programa de vacinação obrigatória para todos os cidadãos.

O fato é que a maioria dos vírus não entram no corpo naturalmente através de cortes e arranhões como acontece com uma agulha hipodérmica- mas ao respirar o ar ou ao ingerir alimentos.

Devido a isso, o corpo desenvolve uma resposta imune mais eficiente a algo que é ingerido ou inalado em comparação quando é injetado. Isto significa que, se introduzirmos uma vacina de uma forma mais natural, por exemplo, pela respiração, pode ser mais eficaz do que uma injeção.

O problema é que a maioria das partículas inaladas -incluindo o vírus atenuado utilizado na vacinação – são eliminados ​​das vias respiratórias sem entrar no corpo ou chegar no sistema imunitário. Isto significa que eles não são expostos ao sistema imune o tempo suficiente para que o corpo desenvolva uma resposta imune contra o vírus e são, por conseguinte, ineficazes.

No entanto, um grupo de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) pode ter encontrado uma maneira de contornar este problema. O grupo de pesquisadores, liderado por Darrell Irvine, criou uma cápsula de múltiplas camadas de gordura que envolve o vírus usado para a vacinação. Embora ainda muito pequenas, apenas nanômetros de diâmetro, estas gotas de gordura são maiores que o vírus e a sua composição gordurosa faz com que seja mais propensa a absorção pelo organismo.

Quando se compara a inalação do vírus por si só, sem a nanocápsula, com a injecção do vírus em nanocápsulas, os resultados da vacinação por inalação destas nanocápsulas foram impressionantes.

Já existem vacinas inaláveis

Em 2014, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) informou que uma vacina de spray nasal contra a gripe pode funcionar melhor em crianças pequenas do que uma injeção padrão. Recentemente, pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e a Universidade do Texas experimentaram com sucesso a aplicação de uma vacina spray contra o Ebola em primatas.

Pesquisadores da Universidade Estatal da Carolina do Norte e da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill descobriram uma nova abordagem para a criação de vacinas que utilizam nanopartículas inaladas como uma promessa para o tratamento de doenças pulmonares, tais como a influenza, a pneumonia e a tuberculose.

O uso da replicação de partículas na tecnologia de não-umedecimento (PRINT) inventado no Laboratório DeSimone, Robbins e Fromen foi capaz de modificar especificamente a carga de superfície de partículas de proteína, evitando a interrupção de outras características das partículas, o que demonstra a capacidade única da PRINT de modificar atributos de impressão de forma independente.

Quando as partículas com uma carga induzida positiva são inseridas no pulmão, se induzem respostas de anticorpos de superfície tanto localmente no pulmão como sistemicamente no corpo.

Armas de doença massiva

Armas de doença massiva são aquelas que tentam debilitar e enfraquecer uma pessoa, fazendo com que esta pessoa se torne um paciente do complexo industrial farmacêutico. Seria preciso muito pouco para erradicar a grande parte da toxicidade do nosso mundo moderno, mas a iniciativa da elite dominante é destruir, poluir e colocar em risco tudo o que é fundamental para a vida no planeta Terra.

“Manter a humanidade em 500.000.000 de pessoas em um equilíbrio perpétuo com a natureza.” É o primeiro dos “novos 10 mandamentos” das Georgia Guidestones.

O mesmo plano é citado pelo gênio Bill Gates: “O mundo tem hoje 6,8 milhões de pessoas. Chegaremos a 9 milhões. Se fizermos um bom trabalho com novas vacinas, cuidados de saúde, serviços de saúde reprodutiva, poderíamos .. reduzir esse número em 10 ou 15 por cento. ” O que Gates sugere é manter o atual programa de despovoamento cujos resultados seriam ainda mais visíveis se as vacinas fossem dispersas no ar, já que ninguém pode evitar respirar. Se este fosse o caso, as vacinas por si só resultariam na morte de mais de 1 bilhão de pessoas.

Vacinas pulverizadas por aeronaves poderão ser usadas em breve, caso ainda não tenham sido usadas sobre os céus como uma maneira de garantir que ninguém possa escapar dos programas de vacinação obrigatórios. Mas, não se preocupe. Afinal de contas, o governo só quer o melhor para nós, porque a elite dominante ama a todos.

A única vacina que é necessária tomar é a que nos liberta da ignorância.

Este artigo foi publicado pela primeira vez em The illusion of Science. Tradução e adaptação por Luis R. Miranda e The Real Agenda News.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like

The TB pandemic that nobody sees, but that kills millions a year

  31.8 million people will have died by 2030 if tuberculosis is…

Singapore goes full 1984

In uncertain times, Singapore leaves no room for doubt about its commitment…