A Nova Ordem Mundial: As Oito Famílias |
Real Alternative. Real News.|Saturday, September 20, 2014
You are here: Home » World » A Nova Ordem Mundial: As Oito Famílias

A Nova Ordem Mundial: As Oito Famílias 

Por Dean Henderson
Tradução de Luis R. Miranda
03 de junho de 2011

Parte 1 de uma série de quatro

Os Quatro Cavaleiros do sistema bancário (Bank of America, JP Morgan Chase, Citigroup e Wells Fargo) são proprietários dos Quatro Cavaleiros do petróleo (Exxon Mobil, Royal holandesa Shell, a BP Amoco e Chevron Texaco), juntamente com o Deutsche Bank , BNP, Barclays e outros gigantes europeus. Mas o seu monopólio sobre a economia mundial não pára por aí.

Segundo documentos apresentados à SEC, os Quatro Cavaleiros do sistema bancário estão entre os dez maiores acionistas de quase todas as corporações da Fortune 500. [1]

Então, quem são os accionistas dos bancos?

Esta informação é vigiada de perto. Minhas consultas com os reguladores bancários sobre os proprietários de ações dos 25 principais bancos dos EUA receberam status ao abrigo da Lei de Liberdade de Informação, antes de ser rejeitadas por razões de “segurança nacional”. Isto é bastante irônico, já que muitos dos accionistas dos bancos residem na Europa.

Um repositório importante para a riqueza da oligarquia mundial destes bancos é o U.S. Trust Corporation – fundada em 1853 e agora propriedade do Bank of America. Um dos curadores mais recentes e administrador honorário foi Walter Rothschild. Outros diretores foram Daniel Davison da JP Morgan Chase, Richard Tucker, Exxon Mobil, Daniel Rodrigues de Citigroup e Marshall Schwartz, do Morgan Stanley. [2]

JW McCallister, quem iníciou na indústria do petróleo na casa de Saud, escreveu no The Grim Reaper que as informações obtidas sobre os banqueiros árabes decreviam que 80% da Reserva Federal de Nova York, a agência mais poderosa do Fed, é controlada por oito famílias, quatro das quais vivem em EUA. São Goldman Sachs, Rockefeller, Lehman Loebs Kuhn de Nova York, os Rothschilds de Paris e Londres, Warburg, em Hamburgo, Lazards Paris, e os israelenses Moisés Seifs de Roma.

CPA Thomas D. Schauf corrobora McCallister, acrescentando que dez bancos controlam as doze agências da Reserva Federal. Os nomeados NM Rothschild em Londres, Rothschild Bank em Berlim, Warburg Bank of Hamburg Warburg Bank of Amesterdão, do Lehman Brothers em Nova York, Lazard Brothers de Paris, Kuhn Loeb Bank of New York, Israel Moisés Seif Banco da Itália, o Goldman Sachs de Nova York e o Banco JP Morgan Chase em Nova York. Ele lista Schauf William Rockefeller, Paul Warburg Jacob Schiff e James Stillman como donos de grandes parcelas da Reserva Federal. [3] Schiff é um privilegiado dentro do Kuhn Loeb. O Stillman, privilegiados do Citigroup, juntou-se com o clã Rockefeller.

Eustace Mullins chegou a conclusões semelhantes em seu livro Os Segredos da Reserva Federal, que mostra gráficos de ligação da Reserva Federal e os bancos participantes com as famílias Rothschild, Warburg, Rockefeller e outras. [4]

O controle exercido pelas famílias de banqueiros sobre a economia global não pode ser exagerada e é um segredo bem guardado. Seu braço na mídia corporativa é rápido para desacreditar qualquer informação que expõe este cartel privado de bancos centrais como “teoria da conspiração”. Entretanto, os fatos estão provando isso.

A Casa de Morgan

A Reserva Federal, nasceu em 1913, mesmo ano em que J. Pierpont Morgan, um chefão do setor bancário dos EUA morreu e quando a Fundação Rockefeller foi formada. A Casa de Morgan presidida finanças americanas a na esquina de Wall Street e Broad Street, como o banco central dos EUA desde 1838, quando George Peabody a fundou em Londres.

Peabody era um parceiro de negócios de Rothschild. Em 1952, Eustace Mullins apresentou a hipótese de que Morgan não era mais do que um agente de Rothschild. Mullins escreveu que os Rothschild, “… preferiram trabalhar no anonimato nos EUA por trás da fachada de JP Morgan & Company. ” [5]

O autor Gabriel Kolko disse, “as actividades de Morgan entre 1895-1896 na venda de títulos do Tesouro dos U.S. na Europa é baseada em uma aliança com a Casa de Rothschild. “[6]

Os tentáculos do Morgan se espalharam rapidamente pelo mundo. Morgan Grenfell estava operando em Londres. Morgan Cerulean et Paris. Os primos de Rothschild Lambert & Company criou Drexel, na Filadélfia.

A Casa de Morgan assiste aos Astor, DuPont, Guggenheim, Vanderbilt e Rockefeller. Esta casa financiou o lançamento do AT & T, General Motors, General Electric e DuPont bem como o banco Rothschild e Baring com sede em Londres. Morgan tornou-se parte da estrutura de poder em muitos países.

Em 1890, a Casa de Morgan fez empréstimos ao banco central do Egito, financiou a construção das ferrovias russas, as obrigações dos governos estaduais brasileiros bem como na Argentina com projetos de obras públicas. Uma recessão em 1893 aumentou o poder de Morgan. Naquele ano, Morgan salvou o governo dos EUA de uma corrida bancária (a bank run), formando uma união para fortalecer as reservas do governo, com um carregamento de US $ 62 milhões em ouro de Rothschild. [7]

Morgan era a força motriz por trás da expansão ocidental nos EUA, o financiamento e controle de acordos através de votos de confiança. Em 1879, Morgan financiou a New York Ferrovia Central a uma taxa preferencial para o envio do monopólio da Standard Oil, cimentando a relação entre Rockefeller e Morgan.

A Casa de Morgan, em seguida, veio sob o controle dos Rothschild e Rockefeller. A manchete do New York Herald, afirmou: “Os reis do trem são um Trust gigantesco.” J. Pierpont Morgan, disse alegremente certa vez: “A competição é um pecado”. “Pense sobre isso.” Toda a competição do tráfego ferroviário ao oeste de São Luís estava nas mãos de trinta homens. [8]

Morgan e o banqueiro de Edward Harriman, Kuhn Loeb detinha o monopólio do transporte ferroviário, enquanto as dinastias bancárias de Lehman, Goldman Sachs, Lazard se juntaram com Rockefeller para monopolizar o controle da base industrial dos EUA. [9]

Em 1903, o Banker’s Trust foi fundado por oito famílias. Benjamin Strong, foi o primeiro governador da Reserva Federal de Nova York. A criação da Reserva Federal em 1913 fundiu o poder das oito famílias com a força militar e da diplomacia do governo dos EUA. Se seus empréstimos estrangeiros não eram pagos, os oligarcas podiam enviar o exercito americano para cobrar as dívidas. Morgan, Chase e Citibank formaram um sindicato de empréstimos internacionais.

A Casa de Morgan era aconchegante com a Câmara Britânica de Windsor e a Câmara Italiana de Sabóia. Os Kuhn Loebs, Warburg, Lehman, Lazards, Israel Moisés Seifs e Goldman Sachs também tem laços estreitos com a realeza européia. Em 1895, Morgan controlava o fluxo de ouro dentro e fora dos EUA. A primeira onda de fusões da América estava na sua infância e estava sendo promovida pelos banqueiros. Em 1897, ocorreram sessenta e nove fusões industriais. Em 1899 ocorreram 1200. Em 1904, John Moody – fundador da Moody’s Investor Services – disse que era impossível falar dos interesses de Rockefeller e os interesses de Morgan separadamente. [10]

A desconfiança pública sobre as fusões começou a surgir. Muitos foram considerados traidores que trabalham para as antigas potências europeias. Standard Oil de Rockefeller, U.S. Steel do Andrew Carnegie e as ferrovias do Edward Harriman foram financiados por meio do banqueiro Jacob Schiff de Kuhn Loeb, que trabalhou em estreita colaboração com os Rothschilds da Europa.

Vários países ocidentais proibiram a entrada dos banqueiros. O pregador populista William Jennings Bryan foi três vezes candidato democrata para presidente desde 1896 -1908. O tema central de sua campanha foi que a América estava caindo em uma armadilha, que incluía “servidão financeira para a capital britânica”. Teddy Roosevelt derrotou Bryan em 1908, mas foi forçado a promulgar a Lei Sherman Anti-Trust. Em seguida, Roosevelt começou sua perseguição da U.S. Standard Oil Trust.

Em 1912, foram realizadas as audiências Pujol para analisar a concentração de poder em Wall Street. Naquele mesmo ano, a Sra. Edward Harriman vendeu suas ações da Guaranty Trust Bank de Nova York para o JP Morgan, Morgan Guaranty Trust foi então criado. O juiz Louis Brandeis, convenceu o presidente Woodrow Wilson para exigir o fim das associações entre os diretores de bancos. Em 1914, foi aprovada a Lei Clayton Anti-Trust.

Jack Morgan – filho e sucessor de J. Pierpont – respondeu ao chamado de seus clientes do Morgan Remington e Winchester para aumentar a produção de armas. Ele argumentou que os EUA precisava entrar na Primeira Guerra Mundial. Picado pela Fundação Carnegie e outros frentes oligárquicos, Woodrow Wilson aceitou a sugestão. Como Charles Tansill escreveu em “América vai para a guerra“, “Muito antes do início do conflito, a empresa francesa de Rothschild Freres contactou Morgan & Company em Nova York para pedir emprestado $ 100 milhões, uma parte substancial do que viria a ser utilizado em EUA para pagar as compras francesas de produtos americanos. “

A Casa de Morgan financiou a metade da intervenção dos EUA na guerra, em quanto ele recebia comissões para permitir a participação de empreiteiros, como a General Electric, DuPont, US Steel, Kennecott y ASARCO. Todos eram clientes do Morgan. Morgan também financiou a guerra da Grã-Bretanha contra os Boers na África do Sul e a Guerra Franco-Prussiana. A Conferência de Paz de Paris de 1919 foi liderada por Morgan, que liderou o esforço conjunto para a reconstrução da Alemanha e os aliados. [11]
Em 1930, ressurgiu o populismo nos Estados Unidos depois que Goldman Sachs, Lehman e outros beneficiaram-se da crise de 1929. [12] O presidente do Comitê Bancário do Congresso, Louis McFadden (D-NY) disse sobre a Grande Depressão “, foi um acidente. Foi uma ocorrência cuidadosamente criada artificialmente … Os banqueiros internacionais buscaram criar um estado de desespero para emergir como os nossos dirigentes e proprietários. “
O senador Gerald Nye (D-ND) presidiu uma investigação em 1936. Nye concluiu que a Casa de Morgan tinha levado EUA a participar na Primeira Guerra Mundial para proteger o crédito, os empréstimos e criar uma indústria de armamento. Nye mais tarde produziu um documento intitulado “A Próxima Guerra”, que cinicamente se refere ao” velho truque para enganar a deusa da democracia “, através do qual o Japão poderia ser usado para atrair EUA a II Guerra Mundial.

Em 1937, o Secretário do Interior, Harold Ickes alertou sobre a influência de “60 famílias americanas.” O historiador Ferdinand Lundberg mais tarde escreveu um livro com o mesmo título. Na Suprema Corte, William O. Douglas relatou: “A influência do Morgan … como a mais perniciosa, no presente na indústria e finanças.”

Jack Morgan respondeu levando os EUA para a II Guerra Mundial. Morgan tinha relações próximas com a família Iwasaki e Dan – os dois clãs mais ricos do Japão – que são donos da Mitsubishi e Mitsui, respectivamente, porque estas empresas surgiram de acordos no século XVII. Quando o Japão invadiu Manchúria, matando camponeses chineses em Nanquim, Morgan minimizou o incidente. Morgan também tinha uma relação estreita com o fascista italiano Benito Mussolini, enquanto a Alemanha nazista, em quanto o alemão nazi Dr. Hjalmar Schacht era um link do Banco Morgan durante a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra Hjalmar se encontrou com um representantes de Morgan Schacht no Banco de Compensações Internacionais (Bank of International Setlements ou BIS) na Basiléia, Suíça. [13]

A Casa dos Rockefeller

O BIS é o banco mais poderoso do mundo, um banco central global das oito famílias que controla os bancos centrais privados da maioria dos países ocidentais, incluindo países em desenvolvimento. O primeiro presidente do BIS foi o banqueiro de Rockefeller McGarrah Gates, um funcionário do Chase Manhattan e da Reserva Federal. McGarrah era o avô do ex-diretor da CIA, Richard Helms. O Rockefeller, como Morgan, tinha laços estreitos com Londres. David Icke escreve em The Children of the Matrix, que o Rockefeller e o Morgan eram apenas “mensageiros” dos Rothschilds na Europa. [14]

O BIS é propriedade da Reserva Federal, o Banco da Inglaterra, Banco da Itália, Banco do Canadá, Banco Nacional da Suíça, Nederlandsche Bank, do Bundesbank e do Banco da França.

O historiador Carroll Quigley escreveu em seu livro Tragedia e Esperanca (Tragedy and Hope), que o BIS foi parte de um plano “para criar um sistema mundial de controle financeiro em mãos privadas capazes de dominar o sistema político de cada país e a economia mundial juntos … para ser controlado pelos bancos centrais de maneira feudal e em conjunto por acordos secretos “.

O governo dos EUA tinha uma desconfiança histórica do BIS, mas o seu lobby para desmantelá-lo não teve efeito em 1944, durante a reunião Bretton Woods, após a Segunda Guerra Mundial. Em vez disso, o poder das oito famílias aumentou com a criação, também em Bretton Woods, do FMI e o Banco Mundial. A Reserva Federal tomou medidas contra o BIS somente em setembro de 1994. [15]

O BIS mantém pelo menos 10% das reservas monetárias de pelo menos 80 dos bancos centrais do mundo, o FMI e outras instituições multilaterais. Serve como agente fiscal de acordos internacionais, coleta informações sobre a economia mundial e serve como um emprestador de última instância para evitar o colapso financeiro global.

O BPI promove um programa do capitalismo monopolista e fascismo. Este banco deu um empréstimo à Hungria em 1990, para garantir a privatização da economia daquele país. Serviu como um canal para o financiamento das Oito Famílias, que por sua vez financiaram o Adolf Hitler, dirigidas por J. Henrique Schroeder e Mendelsohn Warburg Bank de Amesterdão. Muitos pesquisadores afirmam que o BIS é a cabeça do gerenciamento de dinheiro proveniente da venda de drogas em todo o mundo. [16]

Não é por acaso que o BIS está baseado na Suíça, esconderijo favorito para a riqueza da aristocracia e a sede mundial da P-2 Maçônica Italiana, Alpine Lodge, bem como a Nazista International. Outras instituições que são controladas pelas Oito Famílias são o Fórum Econômico Mundial, a Conferência Monetária Internacional e a Organização Mundial do Comércio.

Bretton Woods foi uma bênção para as Oito Damílias. O FMI e o Banco Mundial foram o foco desta “nova ordem mundial”. Em 1944, os primeiros títulos do Banco Mundial foram acolhidos pela Morgan Stanley e First Boston. A família Lazard francesa tornou-se mais envolvida no interesse da Casa de Morgan. Lazard Freres, o maior banco de investimentos em França, é propriedade da Lazard e as famílias David-Weill, descendentes do banqueiro genovês representado por Michelle Davive. Um presidente e CEO do Citigroup foi Sanford Weill.

Em 1968, Morgan Guaranty lançou o Euro-Clear, um banco de compensação em Bruxelas, para os valores de eurodólares. Foi o primeiro banco automatizado do seu tipo. Alguns chamaram o Euro-Clear “The Beast” ou a Besta. Bruxelas é a sede do novo Banco Central Europeu e a NATO. Em 1973, funcionarios de Morgan reuniram-se ilegalmente e secretamente nas Bermudas para ressuscitar a antiga Casa de Morgan, 20 anos antes da revogação da Lei Glass Steagall. Morgan e Rockefeller apoiaram financeiramente a Merrill Lynch, fazendo com que este banco ficasse dentro dos 5 grandes bancos de investimento dos EUA. Merrill é agora parte do Bank of America.

John D. Rockefeller usou sua riqueza do petróleo para comprar Equitable Trust, que tinha engolido os grandes bancos e corporações em 1920. A Grande Depressão ajudou a consolidar o poder de Rockefeller. Seu Chase Manhattan Bank fundiu com Kuhn Loeb Bank para formar Chase Manhattan, consolidando uma relação de família que tinha existido por um longo tempo. A Kuhn, Loeb tem financiado – com Rothschild – o Rockefeller para torna-lo o rei do petróleo. National City Bank de Cleveland, deu a John D. o dinheiro necessário para embarcar em sua monopolização da indústria do petróleo no EUA. O banco foi identificado em audiências no Congresso como um dos três bancos de propriedade do Rothschilds em EUA durante a década de 1870, quando se juntou com Rockefeller na Standard Oil de Nova York. [17]

Um membro do Rockefeller e a Standard Oil foi Edward Harkness, cuja família chegou a controlar o Chemical Bank. Outro foi James Stillman, cuja família controla Manufacturers Hanover Trust. Os dois bancos se uniram sob a égide do JP Morgan Chase. Duas das filhas de James Stillman casaram com dois dos filhos de William Rockefeller. As duas famílias controlam uma grande parte do Citigroup. [18]
No negócio de seguros, o Rockefeller controla Metropolitan Life, a Equitable Life, de Prudential e New York Life. Os bancos de Rockefeller controlam 25% de todos os ativos dos 50 maiores bancos comerciais dos EUA e 30% de todos os ativos das 50 maiores empresas de seguros. [19] As companhias de seguro, a primeira nos EUA, foi lançada pelos maçons através de seus Woodman da América, que desempenham um papel fundamental na lavagem de dinheiro do comércio de drogas nas Bermudas.

As empresas controladas por Rockefeller são a Exxon Mobil, Chevron Texaco, BP Amoco, Marathon Oil, Freeport McMoran, Quaker Oats, Asarco, United, Delta, Northwest, a ITT, a International Harvester, a Xerox, a Boeing, a Westinghouse, a Hewlett-Packard, a Honeywell, International Paper, Pfizer, Motorola, Monsanto, Union Carbide e General Foods.

A Fundação Rockefeller tem estreitos laços financeiros com as Fundações Ford e Carnegie. Outras iniciativas filantrópicas da família sao o Rockefeller Brothers Fund, o Instituto Rockefeller de Pesquisa Médica, do Conselho Geral da Educação, a Universidade Rockefeller e da Universidade de Chicago, que produziu um fluxo constante de economistas de direita como apologistas do capital internacional, incluindo Milton Friedman.

A família é dona do 30 Rockefeller Plaza, onde a árvore de Natal nacional é acesa todos os anos, e o Rockefeller Center. David Rockefeller foi fundamental na construção das torres do World Trade Center. A casa principal da família Rockefeller é um imenso complexo no estado de Nova York, conhecido como Pocantico Hills. Eles também possuem um dúplex de 32 quartos, na Avenida 5 ª, em Manhattan, uma mansão em Washington, DC, Rancho Monte Sacro na Venezuela, plantações de café no Equador, várias fazendas no Brasil, uma propriedade imensa em Seal Harbor, Maine, resorts no Caribe, Havaí e Porto Rico. [20]

As famílias Dulles e Rockefeller são primos. Allen Dulles, quem criou a CIA com a ajuda dos nazistas, encobriu o assassinato de Kennedy durante a investigação da Comissão Warren e concordou com a Irmandade Muçulmana para executar assassinatos com ‘patsies’ que foram submetidos a lavagem de cérebro. [21]

O Irmão John Foster Dulles, presidiu a falsa Confiança de Goldman Sachs antes do crash da bolsa em 1929 e ajudou o seu irmão para derrubar governos no Irão e na Guatemala. Ambos eram membros da Skull & Bones, privilegiados do Council on Foreign Relations (CFR), e maçons grau 33 (o maior de todos). [22]

Os Rockefellers foram fundamentais na formação da política de despovoamento do Clube de Roma, em sua propriedade em Bellagio, Itália. Eles criaram a Comissão Trilateral na sua fazenda em Pocantico Hills. A família é um dos principais financiadores do movimento eugênico que levou ao poder a Hitler, a clonagem humana e a obsessão com o DNA na comunidade científica de EUA.

John Rockefeller Jr., dirigiu o Conselho da População até sua morte. [23] Seu filho homônimo é um senador da Virgínia Ocidental. O irmão Winthrop Rockefeller foi vice-governador do Arkansas e continua a ser o homem mais poderoso do estado. Em outubro de 1975, em entrevista com a revista Playboy, o vice-presidente Nelson Rockefeller, que também foi governador de Nova York, articulou uma visão paternalista da sua família: “Sou um grande crente no planejamento econômico, social, político, e militar do mundo inteiro. “

Mas de todos os irmãos Rockefeller, David, fundador da Comissão Trilateral (TC), e presidente do Chase Manhattan, foi quem levou a agenda fascista da família em uma escala global. Ele defendeu o xá do Irã, o regime do apartheid sul-Africano e a junta militar de Pinochet no Chile. Ele foi o maior financiador do CFR, CT, e (durante a Guerra do Vietnã), o Comitê para uma Paz Efetiva e duradoura na Ásia- um contrato de bonança para aqueles que fizeram uma vida fora do conflito.

Nixon pediu-lhe para ser secretário do Tesouro, mas Rockefeller recusou a oferta de emprego sabendo que seu poder era muito maior. O autor Gary Allen escreveu no arquivo de Rockefeller, que em 1973, “David Rockefeller se reuniu com 27 chefes de estado, incluindo os chefes da Rússia e da China comunista”.

Após o golpe contra o primeiro ministro australiano Gough Whitlam em 1975, (realizado pela CIA e o Nugan Hand Bank, o seu lacaio na Coroa britânica, Malcolm Fraser, visitou os EUA, onde conheceu o presidente Gerald Ford, depois de conferenciar com David Rockefeller [24].

Na próxima semana: Parte II: Os maçons e o Banco dos Estados Unidos

Fontes de informação:

[1] 10K Filings of Fortune 500 Corporations to SEC. 3-91

[2] 10K Filing of US Trust Corporation to SEC. 6-28-95

[3] “The Federal Reserve ‘Fed Up’. Thomas Schauf. www.davidicke.com 1-02

[4] The Secrets of the Federal Reserve. Eustace Mullins. Bankers Research Institute. Staunton, VA. 1983. p.179

[5] Ibid. p.53

[6] The Triumph of Conservatism. Gabriel Kolko. MacMillan and Company New York. 1963. p.142

[7] Rule by Secrecy: The Hidden History that Connects the Trilateral Commission, the Freemasons and the Great Pyramids. Jim Marrs. HarperCollins Publishers.New York. 2000. p.57

[8] The House of Morgan. Ron Chernow. Atlantic Monthly Press NewYork 1990

[9] Marrs. p.57

[10] Democracy for the Few. Michael Parenti. St. Martin’s Press. New York. 1977. p.178

[11] Chernow

[12] The Great Crash of 1929. John Kenneth Galbraith. Houghton, Mifflin Company. Boston. 1979. p.148

[13] Chernow

[14] Children of the Matrix. David Icke. Bridge of Love. Scottsdale, AZ. 2000

[15] The Confidence Game: How Un-Elected Central Bankers are Governing the Changed World Economy. Steven Solomon. Simon & Schuster. New York. 1995. p.112

[16] Marrs. p.180

[17] Ibid. p.45

[18] The Money Lenders: The People and Politics of the World Banking Crisis. Anthony Sampson. Penguin Books. New York. 1981

[19] The Rockefeller File. Gary Allen. ’76 Press. Seal Beach, CA. 1977

[20] Ibid

[21] Dope Inc.: The Book That Drove Kissinger Crazy. Editors of Executive Intelligence Review. Washington, DC. 1992

[22] Marrs.

[23] The Rockefeller Syndrome. Ferdinand Lundberg. Lyle Stuart Inc. Secaucus, NJ. 1975. p.296

[24] Marrs. p.53

About the author:

Luis Miranda is the Founder and Editor-in-Chief at The Real Agenda. His career spans over 17 years and almost every form of news media. He attended Montclair State University's School of Broadcasting and also obtained a Bachelor's Degree in Journalism from Universidad Latina de Costa Rica. Luis speaks English, Spanish Portuguese and Italian.

2 Responses to A Nova Ordem Mundial: As Oito Famílias

  1. whaceres

    sou maçon, mas me estremeci, não sabia…..

  2. Luis Miranda

    A marioria das pessoas que pertencem a este grupo nao tem conhecimento do que esta realmente por tras desta organizacao. Por exemplo, acham que o grau 33 e o maximo, quando na realidade existem graus muito mais altos.

Add a Comment

WP-SpamFree by Pole Position Marketing